27 de May, 2024
MEGAMANIF pela Quinta dos Ingleses foi notícia no Le Monde
Atualidade Política

MEGAMANIF pela Quinta dos Ingleses foi notícia no Le Monde

Abr 14, 2024
NOTÍCIA publicada no francês Le Monde

Por Redação | 17h40

A manifestação contra os megaempreendimentos em curso em Carcavelos, em especial, o previsto para a Quinta dos Ingleses, o Bairro da Torre e o Hotel Hilton, que juntou mais de 1.500 pessoas, teve reflexos a nível internacional, com o prestigiado jornal francês Le Monde a noticiar esta marcha de protesto pacífico, organizada pelo SOS Quinta dos Ingleses – Associação Ambiental e os Alvorada da Floresta.

Ao longo de um percurso que rodeou a Quinta dos Ingleses e que terminou na zona do parque de estacionamento público da mesma, as pessoas concentraram-se à volta das palavras gigantes “Save Me”, escritas em feltro vermelho no chão.

Esta foi a maior e mais concorrida de sempre manifestação em Cascais, que, tal como a petição em curso em defesa da mata da Quinta dos Ingleses, com perto de 5000 assinaturas, demonstra que o problema do excesso de construção e da destruição do ambiente (em particular da Quinta dos Ingleses) recolhe um apoio cada vez mais expressivo, à semelhança das preocupações ligadas à preservação do surf e da orla costeira de Carcavelos, que estão em risco.

A Quinta dos Ingleses é um espaço verde com 52 hectares, dos quais 35 hectares são floresta, que se situa na zona costeira de Carcavelos- uma área que a SOS Quinta dos Ingleses assegura estar em risco de dar lugar a um megaempreendimento com prédios de 7 andares, 850 apartamentos, 150 apartamentos turísticos e um hotel, e ainda zonas comerciais e de serviços.

No terreno ao lado, no Bairro da Torre, a Câmara de Cascais licenciou a construção de mais 567 apartamentos turísticos; e o futuro Hotel Hilton terá 116 apartamento turísticos e 66 quartos ou apartamentos da cadeia Hilton, o que, no total e com os outros equipamentos previstos, representará um aumento da população local entre 3000 e 4000 pessoas, concentrada junto à praia, naquela que é uma das freguesias mais densamente povoadas de Portugal, com cerca de 6000 habitantes por km2 e sem áreas verdes significativas.

As construções em curso e previstas terão um impacto muito negativo no ambiente e na qualidade de vida das populações, na praia e na prática do surf, porão em causa toda a biodiversidade existente, agravarão os riscos de cheia e o aquecimento do interior da freguesia, impedindo a circulação da brisa marinha e alterando os ventos, ficando a freguesia de Carcavelos e Parede ainda mais sujeita às consequências dos fenómenos climáticos extremos, revela a SOS Quinta dos Ingleses, reafirmando que “foi contra tudo isto que a população local se manifestou em força”.

Ainda de acordo com a mesma associação cívica, “vivemos em plena crise climática e a Câmara Municipal de Cascais tem o dever de zelar pelo ambiente, segurança e bem-estar da população de Carcavelos. Queremos um parque natural urbano que abranja a totalidade da Quinta dos Ingleses e o Bairro da Torre, que retenha o CO2, preserve a praia, mitigue os efeitos das ondas de calor e das chuvas extremas, sirva, com segurança, de área de lazer significativa e não se reduza a cerca de 8 hectares, ou seja, a um jardim alargado, como pretende a Câmara Municipal de Cascais, a construtora Alves Ribeiro e a Associação St. Julian’s.”.

Finalmente, a SOS Quinta dos Ingleses faz um apelo: “OIÇAM AS NOSSAS VOZES”

Um apelo, no entanto, que pode não ter resposta, dado que, conforme foi anunciado o município de Cascais emitiu Alvará para o início das obras- uma decisão que, conforme Cascais24Horas então noticiou, o Vice-presidente Nuno Piteira Lopes considerou “irreversível”.

Deixe o seu Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *